blend shape

Animação – Mais passos

Outro exercício de animação (não muito animador, na verdade). Na época que fiz, usei um Pentium III 800Mhz com 1 Gb de Ram e placa de vídeo de 128. Foi uma das coisas mais torturantes e aflitivas que já fiz na vida. Mas tinha que ser feito.
Mas como resultado disso, o timing da animação ficou extremamente prejudicado. Um personagem como o Asterix, pequeno, leve, ficou com o passo de um Robocop com as juntas enferrujadas.
Além disso, tem uns tilts, provavelmente keyframes errados, ou alguma curva errada no Curve Editor que só percebi depois do Render, aos 48 do segundo tempo para entrega do exercício.
Resolvi postar aqui com todos os defeitos para servir de exemplo. Se você quiser trabalhar com animação, realmente ajuda ter uma máquina melhor. A qualidade final está totalmente relacionada ao tempo disponível para a feitura. Quanto mais tempo você tiver, mais vai poder refinar a animação, e perder tempo esperando a máquina processar cada comando que você der, vai prejudicar o resultado.

O exercício consistia em animar um personagem andando, dobrando uma esquina, avistando um objeto, analizando, se desinteressanto pelo mesmo e jogando-o por sobre o ombro. Acho que faltou expressividade também. Mas enfim…

Abaixo em render Wired pra mostrar melhor os controles utilizados, além do rigging, fiz controles para o posicionamento dos olhos, controladores pra abrir e fechar as mãos, para controlar a orientação dos joelhos e cotovelos e constrain position para fazer o objeto grudar e desgrudar da mão. Também fiz um esquema que controla a expressão facial, por interpolação entre poses, chamado blend shape. Num post futuro prometo fazer isso mais visível.

Um último comentário: Se você pretende ser um animador, faça um estágio num templo budista antes, ou num convento bizantino. Você vai precisar viver tempos de clausura, exercitar a paciência e a contemplação…